Carmen Lúcia Reis Rodrigues

Lattes

  

 

 

Possui graduação em Licenciatura em Letras pela Universidade Federal do Pará (1987), D.E.A. em Lingüística Teórica e Formal - Université Paris VII/Denis Diderot (1990) - e Doutorado em Lingüística Teórica e Formal - Université Paris VII/Denis Diderot (1995). Atualmente é professora adjunto da Universidade Federal do Pará. Tem experiência nas áreas de Língua Portuguesa e Lingüística, com ênfase em Lingüística Descritiva, atuando principalmente nos seguintes temas: línguas indígenas (Tupí), língua xipaya, fonética-fonologia, morfologia, sintaxe e estudos histórico-comparativos.

 

 

Francisco Pereira de Oliveira

Lattes

  

 


Doutor em Biologia Ambiental, com ênfase em Biologia de Organismos da Zona Costeira Amazônica, pelo Programa de Pós-Graduação em Biologia Ambiental (PPBA). Possui Mestrado em Biologia Ambiental - Ênfase em Ecologia de Ecossistemas Costeiros e Estuarinos pela Universidade Federal do Pará (2004); Especialização em Gestão de Sistema Educacional pelo Centro Universitário do Estado do Pará (2004); graduação em Pedagogia pela Universidade Federal do Pará (2002). Atualmente é Professor Efetivo da Universidade Federal do Pará na cadeira de Planejamento e Gestão Educacional (Assistente I); Pesquisador do Laboratório de Ecologia de Manguezal (UFPA); Pesquisador da Agência de Cooperação Internacional Japonesae (JICA). Tem experiência em projetos de Pesquisa, Extensão e Ensino, por exemplo, Programa Manejo e Dinâmica em Áreas de Manguezal (MADAM), JICA, FUNTEC, Milênio, Universal e outros. Atua principalmente nas linhas de Ecologia de Manguezal, Educação Ambiental, Educação, Meio Ambiente, Manejo Sustentável, Políticas Públicas e Povos tidos como Tradicional e Costeiros, Planejamento e Gestão Educacional.

 

 

Marileide Moraes Alves

Lattes

  

 

 

 Possui graduação em engenharia quimica pela Universidade Federal do Pará (1995), mestrado em Engenharia Química pela Universidade Federal de Pernambuco (1998) e doutorado em Engenharia Química (área de concentração: Reatores e catálise) pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2005). É professora associado da Universidade Federal do Pará, fazendo parte da Faculdade de Engenharia de Pesca (FEPESCA), Campus Bragança. É professora das disciplinas do eixo de Tecnologia do Pescado, Química e Bioquímica. Desenvolve pesquisas com resíduos sólidos oriundos da cadeia produtiva do pescado, bem como elaboração e otimização de produtos à base de pescado. É tutora do Programa de Educação Tutorial da Engenharia de Pesca - PET Pesca (desde novembro/2012).

 

Salomão Antônio Mufarrej Hage

Lattes

 

 

 

 

Possui graduação em Agronomia (1982) e em Pedagogia (1987), mestrado em Educação: Supervisão e Currículo (1995), Doutorado Sanduíshe pela Universidade de Wisconsin-Madison (1999) e doutorado em Educação: Currículo pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2000). É professor do Instituto de Ciências da Educação da Universidade Federal do Pará e docente do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Programa de Linguagens e Saberes da Amazônia. É bolsista produtividade do CNPq. Coordena o Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação do Campo na Amazônia, Integra a Coordenação do Fórum Paraense de Educação do Campo e Coordena a Escola de Conselhos Pará: Núcleo de Formação Continuada de Conselheiros Tutelares e de Direitos da Amazônia Paraense. Na área de Educação, privilegia as seguintes temáticas: educação do campo, políticas educacionais, educação de jovens e adultos, currículo e formação de professores na Amazônia.


 

Sebastião Rodrigues da Silva Junior

Lattes

  

 

 

 Doutor em Ciências Sociais (UFPA-2013). Mestre em Ecologia de Ecossistemas Costeiros (UFPA-2008). Bacharel e Licenciado em Ciências Sociais (UFPA-1995). Atualmente é Coordenador do Campus Universitário de Bragança (UFPA). Professor Adjunto II da Faculdade de Educação do Campus de Bragança (UFPA). Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Sociologia, Estado, Movimentos Sociais. Membro do Grupo Universitário de Educação e Alfabetização de Jovens e Adultos (GUEAJA). Membro do Grupo de Pesquisa Estudos Socioambientais Costeiros (ESAC).

 

 

Vanderlúcia da Silva Ponte

Lattes

  

 

Possui graduação em BACHARELADO EM PSICOLOGIA pela Universidade Federal do Pará (1990), graduação em PSICOLOGIA pela Universidade Federal do Pará (1991), mestrado em Antropologia pela Universidade Federal do Pará (2006), doutorado em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Pará (2014) e Centre de RechercheSurLactionLocale - Université Paris 13 (Paris-Nord) - Campus de Villetaneuse (2014). Atualmente é professora adjunto I da Universidade Federal do Paráe coordena o Grupo de Estudos e Pesquisas Interculturais Pará Maranhão - GEIPAM e a linha de pesquisa " Saúde indígena, Políticas Públicas e interdisciplinaridade do Grupo de estudos sobre Povos Indígenas - GEPI. Tem experiência nas áreas de História Indígena e do Indigenismo, Sociologia da ação local e Antropologia, com ênfase em Antropologia da saúde indígena, atuando principalmente nos seguintes temas: saberes, práticas de saúde indígena, territorialidade e etnicidade.

E-mail: